terça-feira, 30 de novembro de 2010

Martha Medeiros

Eu sou fã incondicional da Martha Medeiros e por coincidência ela esteve aqui em NY este ano e escreveu um artigo sobre sua viagem (não achei o texto na internet não, foi minha mãe que trouxe o recorte do jornal para mim).

Parece que NY não agradou muito a escritora mas eu entendi perfeitamente suas palavras. Aqui estão alguns de seus comentários (e o meus também!).

"Como toda pessoa exuberante e segura de si, NY custa a permitir um envolvimento, o que de certa forma confirma um dos aspectos da sua modernidade: quem quer se envolver hoje em dia?"

NY realmente pode ser um pouco assustadora no início, nem todos os seus novos moradores são recebidos de braços abertos por aqui. Eu me lembro da primeira vez que morei aqui, em 2005, que eu pensei que não fosse conseguir ficar. Os aluguéis são caríssimos por apartamentos pequenos e estranhos, algumas áreas são escuras, sujas e assustadoras, ninguém olha pra ninguém, muita gente briga e grita por nada, e se alguém te empurrar na lotação do metrô é melhor deixar pra lá e seguir em frente.

Mas esse é um lado da maçã. Existe outro lado que se envolve sim (e te envolve também). A vida realmente é corrida, todos estão com seus fones de ouvido e vivendo no seu próprio mundo, mas se você precisar de ajuda sempre vai aparecer alguém para ajudar. Turistas perdidos sempre são acolhidos por locais, o networking profissional funciona sempre e se você decidir andar olhando para os lados pode ter certeza que vai receber vários sorrisos ou "bom dias".

Pra mim, os maiores problemas de NY são o tamanho, preço e estados dos apartamentos e o fato de que todo mundo que mora aqui acaba se mudando algum dia. Já conheci tantas pessoas legais que se mudaram para outras cidades ou países que dá até tristeza.

"Consumir por consumir não é pecado mortal, mas o discernimento é jogado no lixo assim que se aterrissa no aeroporto John F. Kennedy."


Isso é a mais pura verdade. Tudo bem que muitas coisas aqui são mais baratas mas isso não é motivo para querer ter tudo ou pelo menos dez de cada. Não é por que uma camisa Polo aqui custa X e no Brasil custa 4X que eu vou precisar comprar as quatro! Ou por que eletrônicos valem a pena que eu vou querer ter um iPhone, iPad, WII, filmadora, TV...

E não podemos negar que são somente os brasileiros que têm esse comportamento compulsivo com as compras. Quando minhas amigas espanholas estava visitando elas ficavam na rua até quase meia noite e voltavam pra casa sem sacola nenhuma. E olha que achavam tudo barato comparando com os preços na Espanha. As únicas coisas que elas compraram foram souveniers de NY (lixa de unha do Empire State, caneca I LOVE NY, etc - e estavam felizes da vida).

"Até o laser em Manhattan parece business. A integração com a cidade se dá através do máximo que se pode fazer / comer / assistir em um dia."

NY não é uma cidade para se (tentar) conhecer de uma vez só. Não adianta nem se estressar, todo mundo precisa voltar aqui várias vezes para realmente sentir a energia que existe aqui. Eu acho uma boa ideia dividir as viagens em temas: arte, comidas e bebidas, compras, etc... Venha uma vez para conhecer museus e galerias, outra para teatros e shows. Mas sempre separe um dia para fazer "nada" no Central Park ou ficar a tarde toda "people watching" em algum café.

"A Big Apple tem espetáculos sublimes, museus espetaculares, lojas charmosas e preços encantadores. E também milhões de solitários se relacionando intimamente com seus iPods, iPads e iPhones, ruas escuras e cinzentas, excesso de gente, pouca classe e nenhum relax."

Pura verdade!! Mas também tem gente de classe aqui. Alôou!

3 comentários:

Rafaela disse...

engraçado... eu gostava dela, mas de um tempo pra cá acho que ela tem escrito umas besteiras... como esse texto por exemplo...que pessimista e recalcado!!!
se nao fossem suas ressalvas... ;)

bjs!!!

deixoavidamelevar disse...

Acho que ela foi um pouco dura demais com a nossa NY... pode ate ter o seu ponto, ter falado algumas verdades... Mas senti um pouco de orgulho ferido nas palavras dela, sabe? hehehe
Beijooo

Carla Cavellucci Landi disse...

Eu adoro os textos dela e acho que ela teve algum problema mal resolvido ai nessa viagem e descontou na cidade!
Acho que eh pq ela nao pode vir morar aqui, hahahaha

Bjs!!