segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Só Com Terapia...

Depois de dez anos de organização de eventos finalmente percebi que fiquei uma recalcada, chata mesmo. Gosto de tudo milimetricamente alinhado, configurado, arrumado e no horário. Sou capaz de perder noites de sono imaginando se o pessoal da limpeza tirou alguma coisa do lugar. Isso poderia ser uma grande qualidade se alguém reparasse nos detalhes, mas as pessoas que participam de eventos estão preocupadas basicamente com três coisas:

1- Coffee break;
2- Certificado (com o nome correto e carga horária). Saco!;
3- Matar trabalho.

Esta semana tivemos vários eventos de apresentações na universidade. O primeiro dia de palestras foi excelente em termos de produção, e como eu disse, posso ser muito crítica em relação a isto. Estava lá um técnico de audiovisual que mais parecia um sombra. Ele se comunicava com o pessoal da cabine de som com mil gestos e códigos e tudo corria sem falhas. Quando um palestrante ia começar, sua palestra já estava no ponto certo e a tela aberta para ele. Se o cara gesticulava muito o técnico tirava o microfone de sua mão, colocava um de lapela e ele nem percebia que algo estava acontecendo (acho que ele deve ter sido batedor de carteira em alguma outra vida). O nome do palestrante também era trocado no púlpito no timing perfeito.

Eu não tenho idéia sobre o que eram as palestras, só ficava reparando no sombra e sonhando com um cara destes trabalhando comigo. Provavelmente ninguém mais percebeu que ele estava ali e nem perceberam a perfeição com que o evento aconteceu.

No dia seguinte, um sábado, o evento continuou e eu cheguei atrasada. Qual foi a minha surpresa quando não vi o cara lá na frente. Quando reparei, a projeção estava sendo feita diretamente na parede, sendo que havia um telefone no meio do slide e um desnível também. A microfonia corria solta e não havia um palestrante que conseguia colocar o powerpoint na tela cheia. Isso além de levar um tempão para salvar seu arquivo no computador do púlpito.

Novamente não consegui prestar atenção nas palestras, só queria me teletransportar pra outro lugar. Provavelmente ninguém percebeu que o técnico não estava ali e nem perceberam o caos que estava instaurado.

Eu sei que deveria relaxar mais, mas ainda não consigo....rs. Faltou pouco para me oferecer como assistente de palco.

Só sei que se eu encontrar com o sombra pelos corredores, vou dar um beijo na sua boca. E depois saio correndo, por que não quero confusão pro meu lado...

3 comentários:

Pituca disse...

chata sou eu que gosta de texto em tópicos p/ ser mais objetiva:
1)não adianta tecnologia sem as pessoas
2) estas mesmas pessoas fazem a diferença
3)talvez vc tenha TOC e não que os eventos tenham te moldado
4)vc ficaria maior gata como Marriete, uma das mais famosas assistentes de palco
5) melhor não beijar não, vai que vc se apaixona, daí dá-lhe confusão

Beijokas, saudades

milenamb disse...

hahaha, isso por que não comentei sobre minhas inúmeras coleções.
É TOC na certa!

Anônimo disse...

Amiga,

Hoje fiz um update do blog. Mas quero saber notícias mais detalhadas. Como andam a cidade, amigos, casa, vida de estudante, finais de semana. Conte TUDO.

Bjs

Laris